TODAS AS DOUTRINAS DOS RABINOS SÃO CERTAS?

 

Nem todas as doutrinas dos rabinos são certas.

 

Há algumas doutrinas dos rabinos que são erradas.

 

Uma doutrina dos rabinos que é errada é a doutrina que diz que existem duas Torás: a Torá escrita e a Torá oral.

 

Na verdade, somente existe uma Torá (Lei de Deus), que é a Torá Escrita (Torá Shebichtav), e a assim chamada “Torá oral” (Torá Shebeal Pé), na verdade não é Torá (Lei de Deus), mas sim um conjunto de mandamentos de homens, inventados pelos rabinos.

 

Isto é comprovado pelo versículo Devarim (Deuteronômio) 31:24, onde está escrito:

 

 (כד) וַיְהִי כְּכַלּוֹת מֹשֶׁה לִכְתֹּב אֶת דִּבְרֵי הַתּוֹרָה הַזֹּאת עַל סֵפֶר עַד תֻּמָּם:

 

VAYEHÍ KECHALÓT MOSHÉ LICHTÓV ET DIVRÊI HATORÁ HAZÓT ‘AL SÊFER ‘AD TUMÂM.

 

E ACONTECEU QUE, QUANDO MOISÉS ACABOU DE ESCREVER AS PALAVRAS DESTA LEI NUM LIVRO, ATÉ O FIM DELAS.

 

Este versículo mostra que Moisés escreveu toda a Torá (Lei de Deus), de modo que não é verdadeira a doutrina dos rabinos que diz que uma parte da Torá não foi escrita por Moisés e foi transmitida oralmente por ele a Josué, que a transmitiu oralmente aos anciãos de Israel, que a transmitiram oralmente, de geração em geração.

 

Está escrito em Devarim (Deuteronômio) 4:2, que Deus disse o seguinte:

 

(ב) לֹא תֹסִפוּ עַל הַדָּבָר אֲשֶׁר אָנֹכִי מְצַוֶּה אֶתְכֶם וְלֹא תִגְרְעוּ מִמֶּנּוּ | לִשְׁמֹר אֶת מִצְוֹת יְהוָה אֱלֹהֵיכֶם אֲשֶׁר אָנֹכִי מְצַוֶּה אֶתְכֶם:

 

LÓ TOSSÍFU ‘AL HADAVÁR ASHÉR ANOCHÍ METSAVÉ ETCHÊM, VELÓ TIGRE’Ú MIMÊNU, LISHEMÔR ET MITSVÓT YAHVÉ ELOHEICHÉM ASHÉR ANOCHÍ METSAVÉ ETCHÉM.

 

NÃO ACRESCENTAREIS À PALAVRA QUE EU VOS ORDENO, NEM DIMINUIREIS DELA, PARA QUE GUARDEIS OS MANDAMENTOS DE JAVÉ VOSSO DEUS, QUE EU VOS ORDENO.

 

Portanto, vemos que Deus ordenou que nós não acrescentemos nada nem tiremos nada da Sua Lei (Torá).

 

No entanto, a doutrina falsa da Torá oral faz com que muitas coisas sejam acrescentadas à Torá, coisas que Deus não ordenou, e que as pessoas são levadas a pensar que Deus ordenou, porque os rabinos dizem que elas fazem parte da assim chamada “Torá Oral” (Torá Shebeal Pé).

 

Os rabinos dizem que é necessário fazer uma cerca em torno da Torá, para evitar que as pessoas violem os mandamentos da Torá.

 

No entanto, esta doutrina dos rabinos é errada, pois Deus mandou que nós não acrescentemos nada à Torá, de modo que não se deve acrescentar nenhum mandamento à Torá.

 

Está escrito em Yeshayáhu (Isaías) 29:13 o seguinte:

 

(יג) וַיֹּאמֶר אֲדֹנָי יַעַן כִּי נִגַּשׁ הָעָם הַזֶּה בְּפִיו וּבִשְׂפָתָיו כִּבְּדוּנִי וְלִבּוֹ רִחַק מִמֶּנִּי | וַתְּהִי יִרְאָתָם אֹתִי מִצְוַת אֲנָשִׁים מְלֻמָּדָה:

 

VAYÔMER ADONÁI: YÁ’AN KI NIGÁSH HA’ÂM HAZÉ BEFÍV UVISSEFATÁV KIBEDÚNI VELIBÔ RICHÁK MIMÊNI, VATEHÍ YIREATÂM OTÍ MITSVÁT ANASHÍM MELUMADÁ.

 

E DISSE O SENHOR: PORQUE ESTE POVO SE APROXIMA COM A SUA BOCA E COM OS SEUS LÁBIOS ME HONRAM E O SEU CORAÇÃO SE AFASTA DE MIM, E O SEU TEMOR A MIM É MANDAMENTO DE HOMENS QUE É ENSINADO.

 

Portanto, vemos que Deus não aceita que ensinem mandamentos de homens, ao invés de ensinarem os Seus verdadeiros mandamentos.

 

 

Outra doutrina errada dos rabinos é aquela que diz que não é permitido comer carne e leite ou derivados de leite na mesma refeição.

 

Está escrito na Torá, em Devarim (Deuteronômio) 14:21, parte final, o seguinte:

 

לֹא תְבַשֵּׁל גְּדִי בַּחֲלֵב אִמּוֹ:

 

LÓ TEVASHÉL GUEDÍ BACHALÉV IMÔ.

 

NÃO COZINHARÁS O CABRITO NO LEITE DA SUA MÃE.

 

Portanto, vemos que Deus ordenou que nós não cozinhemos o cabrito no leite da sua mãe.

 

Os rabinos aumentam indevidamente a proibição feita por Deus, e dizem que Deus proibiu que se coma na mesma refeição carne e leite ou derivado de leite, mas isto não é verdade, pois Deus somente proibiu cozinhar o cabrito no leite da sua mãe.

 

Assim sendo, constata-se que na realidade é permitido comer carne e leite ou derivado de leite na mesma refeição, e que é somente quando se cozinha carne de cabrito que não se deve colocar nela leite de cabra ou queijo, manteiga ou creme de leite ou coalhada feita com leite de cabra.

 

Outra doutrina dos rabinos que não é correta é a seguinte:

 

Os rabinos dizem que o dia de levar o ômer é o dia seguinte ao primeiro dia de Chag haMatsot (Festa dos Pães Asmos).

 

No entanto, está escrito em Vayikrá (Levítico) 23:15-16 o seguinte:

 

(טו) וּסְפַרְתֶּם לָכֶם מִמָּחֳרַת הַשַּׁבָּת מִיּוֹם הֲבִיאֲכֶם אֶת עֹמֶר הַתְּנוּפָה | שֶׁבַע שַׁבָּתוֹת תְּמִימֹת תִּהְיֶינָה: (טז) עַד מִמָּחֳרַת הַשַּׁבָּת הַשְּׁבִיעִת תִּסְפְּרוּ חֲמִשִּׁים יוֹם | וְהִקְרַבְתֶּם מִנְחָה חֲדָשָׁה לַיהוָה:

 

15 UssefartÊm lachêm mimachorát hashabát, miyôm haviachêm et ‘ômer hatenufá, shéva shabatót temimÓt tiheyêna. 16 ‘Ad mimachorát hashabát hashevi’Ít tisperÚ chamishÍm yom, vehikravtêm minchá chadashá leyahvé.

 

15 E contareis para vós, desde o dia seguinte ao sábado, desde o dia em que levardes o ômer do movimento, sete sábados inteiros serão. 16 Até o dia seguinte ao sétimo sábado contareis cinqüenta dias, e oferecereis oferenda nova para Javé.

 

Portanto, vemos que na verdade o dia de levar o ômer é o domingo seguinte ao primeiro dia da Festa dos Pães Asmos (Chag haMatsot), pois está escrito em Vayikrá (Levítico) 23:15-16 que o ômer deve ser levado no dia seguinte ao sábado, e que devemos contar sete semanas, desde o dia em que for levado o ômer até o dia seguinte ao sétimo sábado.

 

Os rabinos dizem que o dia seguinte ao sábado aí mencionado é o dia seguinte ao primeiro dia da Festa dos Pães Asmos (Chag haMatsot), porque o primeiro dia da Festa dos Pães Asmos é um shabat, porque Deus ordenou que não façamos nenhum trabalho nele.

 

No entanto, em Vayikrá (Levítico) 23:15-16 está escrito que devemos contar sete semanas desde o dia seguinte ao sábado até o dia seguinte ao sétimo sábado, o que exclui a possibilidade de se interpretar a expressão “dia seguinte ao sábado” como sendo “dia seguinte ao primeiro dia da Festa dos Pães Asmos (Chag haMatsot)”, pois não há sete primeiros dias da Festa dos Pães Asmos em sete semanas seguidas, de modo que a expressão “dia seguinte ao sábado” só pode ser interpretada como “dia seguinte ao sábado”, ou seja, domingo (primeira-feira).

 

Portanto, na verdade, o dia de levar o ômer é o domingo (primeira-feira) seguinte ao primeiro dia de Chag haMatsot (Festa dos Pães Asmos), de modo que a Festa das Semanas (Chag haShavuot) cai sempre no oitavo domingo (primeira-feira) após o primeiro dia de Chag haMatsot (Festa dos Pães Asmos).

 

Assim sendo, vemos que os rabinos estão celebrando a Festa das Semanas (Chag haShavuot) no dia errado.

 

Os judeus caraítas a Festa das Semanas (Chag haShavuot) no dia certo.

 

Que Javé (Yahveh) vos abençoe.

 

João Paulo Fernandes Pontes (nome hebraico: Yochanan Ben Yosef).

 

Publicado em 19 de outubro de 2008.

 

Atualizado em 19 de junho de 2015.

 

HOME

 

EM PORTUGUÊS

 

EN FRANÇAIS            EN ESPAÑOL             IN ENGLISH                בעיברית

 

Site Meter