JESUS O NAZARENO NÃO É O MESSIAS

 

Os cristãos dizem que Jesus o Nazareno é o Messias, mas eles estão equivocados porque Jesus o Nazareno não é o Messias.

 

Os cristãos interpretaram equivocadamente as profecias que estão escritas na Bíblia.

 

A CORRETA INTERPRETAÇÃO DA PROFECIA DAS SETENTA SEMANAS DE DANIEL

 

A correta interpretação da profecia das setenta semanas de Daniel é a seguinte:

 

Em Daniel 9:24-27 está escrito o seguinte:

 

DN 9:24 SETENTA SEMANAS ESTÃO DETERMINADAS SOBRE O TEU POVO, E SOBRE A TUA CIDADE SANTA, PARA DESTRUIR A TRANSGRESSÃO, E PARA EXTERMINAR OS PECADOS, E PARA EXPIAR A INIQÜIDADE, E PARA TRAZER A JUSTIÇA ETERNA, E PARA FECHAR A VISÃO E A PROFECIA, E PARA UNGIR O SANTO DOS SANTOS.

DN 9:25 SABE E ENTENDE: DESDE A SAÍDA DA ORDEM PARA RESTAURAR E PARA EDIFICAR JERUSALÉM, ATÉ O MESSIAS PRÍNCIPE, SETE SEMANAS, E SESSENTA E DUAS SEMANAS. ELA VOLTARÁ E SERÁ CONSTRUÍDA, RUA E VALA, MAS EM TEMPOS ANGUSTIOSOS.

DN 9:26 E DEPOIS DAS SESSENTA E DUAS SEMANAS SERÁ CORTADO O MESSIAS, E NÃO TERÁ. E O POVO DO PRÍNCIPE QUE HÁ DE VIR DESTRUIRÁ A CIDADE E O SANTUÁRIO, E O FIM DELE SERÁ NUMA INUNDAÇÃO; E ATÉ O FIM HAVERÁ GUERRA; ESTÃO DETERMINADAS ASSOLAÇÕES.

DN 9:27 E ELE FORTALECERÁ UM PACTO COM MUITOS POR UMA SEMANA; E NA METADE DA SEMANA FARÁ CESSAR SACRIFÍCIO E OFERENDA; E SOBRE A ASA DAS ABOMINAÇÕES ESTARÁ O ASSOLADOR, E ATÉ A DESTRUIÇÃO; E O QUE ESTÁ DETERMINADO SERÁ DERRAMADO SOBRE O ASSOLADOR.

 

Em Daniel 9:25 está escrito que desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém até o Messias Príncipe passar-se-iam sete semanas e sessenta e duas semanas.

 

Messias significa ungido, ou seja, alguém que foi ungido com o óleo da santa unção.

 

Em Êxodo 30:30 está escrito que Deus ordenou que os sacerdotes sejam ungidos com o óleo da santa unção.

 

Posteriormente, quando Deus determinou que houvesse rei em Israel, Ele ordenou que o homem escolhido por Ele para ser rei fosse ungido com o óleo da santa unção, como vemos em 1 Samuel 9:16, 10:1, 16:1 e 16:13 e em 1 Reis 1:39.

 

Em 1 Reis 1:39 está escrito que a unção do rei Salomão foi feita com óleo do Tabernáculo, o que comprova que o óleo usado para ungir o rei de Israel era o óleo da santa unção, mencionado em Êxodo 30:22-33.

 

Jesus o Nazareno não foi ungido com o óleo da santa unção, porque ele não era sacerdote e não foi ungido rei.

 

Portanto, o Messias mencionado em Daniel 9:25-26 não pode ser Jesus o Nazareno.

 

O trecho Daniel 9:24-27 mostra que o Messias Príncipe ali mencionado apareceria e seria cortado antes da destruição do Templo de Deus que ocorreu no ano 70 EC, pois em Daniel 9:25 e na primeira parte do versículo Daniel 9:26 é mencionado o Messias Príncipe e em Daniel 9:26 parte final é dito que o povo do príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário.

 

No período entre a época em que Deus falou estas palavras a Daniel e a destruição do Segundo Templo não houve em Israel nenhum rei da dinastia de Davi.

 

Portanto, o Messias Príncipe mencionado em Daniel 9:25-26 não é um rei da dinastia de Davi, mas sim um sacerdote que governava.

 

Portanto, o Messias Príncipe mencionado em Daniel 9:25-26 era um dos governantes da dinastia dos Hasmoneus, que eram sacerdotes e governantes ao mesmo tempo.

 

A dinastia dos Hasmoneus começou em 164 BCE, quando Judas Macabeu, que era da família dos Hasmoneus, venceu a guerra contra os gregos da Síria e reconquistou Jerusalém e purificou o Templo de Deus, que havia sido profanado pelos gregos da Síria. Daí em diante, Israel passou a ser governado por sacerdotes da dinastia dos Hasmoneus.

 

A saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém ocorreu no ano 539 AEC, quando o rei Ciro, da Pérsia, ordenou que os judeus voltassem para Jerusalém e edificassem o Templo de Deus (Esdras 1:2-3).

 

Os versículos Isaías 44:28 e 45:1 e 45:13 comprovam que Deus considerou a referida ordem dada pelo rei Ciro da Pérsia como sendo uma ordem para restaurar e para edificar Jerusalém.

 

Portanto, a contagem das sete semanas e sessenta e duas semanas mencionadas em Daniel 9:25, que dão um total de sessenta e nove semanas, começa a partir do ano 539 AEC.

 

As semanas mencionadas em Daniel 9:24-27 são conjuntos de sete anos, porque a palavra hebraica “shavua’”, que é traduzida por “semana”, significa um conjunto de sete, pois é derivada da palavra shiv’ah, que significa “sete”, e não poderiam ser conjuntos de sete dias, pois, se assim fosse, as sessenta e nove semanas teriam terminado em uma época em que não havia nenhum Messias Príncipe, ou seja, nenhum ungido governante, pois não havia nenhum rei da dinastia de Davi, e também não havia nenhum sacerdote governante, e em Gênesis 29:27-28 a palavra “shavua’” (semana) é usada para designar um conjunto de sete anos.

 

Portanto, as sessenta e nove semanas mencionadas em Daniel 9:25 correspondem a sessenta e nove conjuntos de sete anos, o que dá um total de 483 anos (69 * 7 = 483).

 

Contando-se 483 anos a partir do ano 539 AEC, chega-se ao ano 56 AEC (539 – 483 = 56).

 

Portanto, o Messias Príncipe mencionado em Daniel 9:25-26 foi o rei Antígono, filho do rei Aristóbulo II, pois no ano 63 AEC Antígono foi capturado e levado para Roma, juntamente com seu pai Aristóbulo II, e no ano 57 AEC Antígono escapou e retornou para a Judeia, e no ano 40 AEC Antígono foi oficialmente proclamado rei da Judéia e sumo sacerdote, e no ano 37 AEC Antígono foi derrotado pelos romanos e foi executado mediante decapitação. Antígono foi o último rei da dinastia dos Hasmoneus.

 

Assim, cumpriu-se a profecia, pois depois das 69 semanas (483 anos) foi cortado o Messias Príncipe, e ele não teve nenhum sucessor que fosse rei da Judeia.

 

A interpretação dos cristãos, que diz que o Messias Príncipe mencionado em Daniel 9:25-26 seria cortado e ressuscitaria e subiria para o céu e se assentaria à direita de Deus e no fim dos tempos virá para ser o rei de Israel, é uma interpretação equivocada, porque está escrito em Daniel 9:26 “será cortado o messias, e não terá”, o que mostra que o messias ali mencionado não terá o reino, de modo que ele não é o mesmo Messias filho de Davi que será o rei de Israel no fim dos tempos, que é mencionado em outras profecias.

 

Além disso, o tempo de vida e a data da morte de Jesus o Nazareno não coincidem com o término do período de 69 semanas mencionado em Daniel 9:25-26, porque Jesus o Nazareno nasceu na época em que Herodes era rei da Judéia (Mateus 2:1 e Lucas 1:5) e morreu quando Pôncio Pilatos era governador da Judéia (Mateus 27:2, Marcos 15:1 e Lucas 23:1), sendo que Herodes tornou-se rei da Judéia em 37 AEC, e morreu no ano 4 AEC, e Pôncio Pilatos foi governador da Judéia desde o ano 26 CE até o ano 36 CE, e as 69 semanas mencionadas em Daniel 9:25-26, se forem contadas a partir da ordem dada pelo rei Ciro da Pérsia para que os judeus voltassem para Jerusalém e reconstruíssem o Templo de Deus, que ocorreu em 539 AEC, terminam no ano 56 AEC (539 – 483 = 56), e se forem contadas a partir da data em que o rei Artaxerxes da Pérsia enviou Neemias a Jerusalém para edificá-la (Neemias 2:5-6), o que ocorreu no ano 445 AEC, terminam no ano 38 EC (445 – 483 = -38), quando Pôncio Pilatos não era mais governador da Judéia.

 

Os cristãos dizem que, se todos os anos forem computados como tendo apenas 360 dias, os 483 anos terminariam no ano 31 EC. No entanto, os anos têm 365,25 dias, e não 360 dias, sendo que no calendário judaico, que é o calendário utilizado na Bíblia, alguns anos têm menos do que 365,25 dias e outros têm mais do que 365,25 dias, mas na média, os anos têm 365,25 dias, pois Deus ordenou que a Festa dos Pães Asmos seja celebrada sempre no primeiro mês do ano (Êxodo 12:18), e que o primeiro mês do ano seja o mês de abib (Êxodo 12:2 e 13:4), que é o mês do início da primavera, pois em hebraico abib significa primavera, de modo que é necessário que os anos tenham em média 365,25 dias, para que sempre o primeiro mês coincida com o início da primavera.

 

Os cristãos dizem que os anos devem ser computados como tendo apenas 360 dias, porque em Gênesis 7:11 e 7:24 e 8:4 está escrito que o dilúvio durou cinco meses, e que o dilúvio durou 150 dias, o que dá 30 dias para cada mês, de modo que 12 meses teriam 360 dias. No entanto, o fato de aqueles 5 meses terem tido 30 dias não significa que todos os meses daquele ano tiveram 30 dias, nem que todos os anos tenham 12 meses, pois no calendário judaico, que é o calendário bíblico, há meses que têm 30 dias e há meses que têm 29 dias, uma vez que todos os meses têm que começar na época da lua nova, já que mês em hebraico é “ḥódesh”, que significa “lua nova”, e há anos que têm 13 meses, uma vez que sempre o primeiro mês tem que coincidir com o início da primavera, conforme já exposto acima, de modo que, em média, os anos têm 365,25.

 

A segunda parte do versículo Daniel 9:26 se cumpriu quando os romanos destruíram a cidade de Jerusalém e o Templo de Deus, no ano 70 EC.

 

Depois que o Templo de Deus, em Jerusalém, for reconstruído, cumprir-se-á o que está predito no versículo Daniel 9:27, ou seja, surgirá um príncipe romano que fortalecerá um pacto com muitos por uma semana, ou seja, por sete anos, e na metade da semana, ou seja, após três anos e meio, ele fará cessar o sacrifício e a oferenda no Templo de Deus, e o assolador estará sobre a asa das abominações, e depois Deus destruirá o assolador.

 

A CORRETA INTERPRETAÇÃO DO VERSÍCULO ZACARIAS 12:10

 

A correta interpretação do versículo Zacarias 12:10 é a seguinte:

 

Em Zacarias 12:10 está escrito:

 

ZC 12:10 MAS SOBRE A CASA DE DAVI, E SOBRE OS HABITANTES DE JERUSALÉM, DERRAMAREI O ESPÍRITO DE GRAÇA E DE SÚPLICAS; E OLHARÃO PARA AQUELE QUE FURARAM; E PRANTEARÃO SOBRE ELE, COMO QUEM PRANTEIA PELO FILHO UNIGÊNITO; E CHORARÃO AMARGAMENTE POR ELE, COMO SE CHORA AMARGAMENTE PELO PRIMOGÊNITO.

 

Na maioria das traduções para o português consta “e olharão para mim a quem traspassaram”, porque no texto hebraico massorético consta

 

וְהִבִּיטוּ אֵלַי אֵת אֲשֶׁר-דָּקָרוּ vehibitu elai et asher daqaru, que significa “e olharão para mim a quem furaram”.

 

No entanto, a pontuação (vocalização) correta da palavra hebraica אלי, neste caso, é אֱלֵי (elei), e não אֵלָי (elai), porque neste versículo quem está falando é Deus, de modo que a pontuação (vocalização) que os massoretas colocaram na palavra אלי, neste caso, conduz ao absurdo, pois אֵלָי (elai) significa “para mim”, de modo que, com esta pontuação (vocalização), estaria escrito que Deus disse “e olharão para mim a quem furaram”, o que é absurdo, pois Deus não pode ser furado por ninguém, pois Ele é o Onipotente, e Ele não é carne, de modo que é óbvio que neste caso a pontuação (vocalização) correta é אֱלֵי (elei), que significa “para”, de modo que a tradução correta é “e olharão para aquele que furaram” ou “e olharão para aquele a quem furaram”.

 

O alfabeto hebraico, originalmente, somente tinha consoantes, e somente a partir do século V EC é que os massoretas inventaram o sistema de pontuação (niqud, ounikud) para representar as vogais. 

 

O texto sagrado e divinamente inspirado da Bíblia Hebraica (Tanakh) é constituído somente por consoantes, pois quando os profetas escreveram os livros sagrados (do século XV AEC ao século V AEC) o alfabeto hebraico era constituído somente por consoantes, e ainda não tinha sido inventado o sistema de pontuação massorético (niqud) para indicar as vogais.

 

Os massoretas, que colocaram os sinais vocálicos no texto do Tanakh (Bíblia Hebraica), não eram profetas, de modo que os sinais vocálicos que se encontram nas edições do Tanakh (Bíblia Hebraica) eventualmente podem estar equivocados, de modo que, quando a vocalização (pontuação) que consta no texto massorético não está correta, nós devemos alterar a pontuação (vocalização), corrigindo o erro.

 

No caso do versículo Zacarias 12:10, a vocalização (pontuação) correta da palavra אלי é אֱלֵי (elei), e não אֵלָי (elai), conforme demonstrado acima, de modo que devemos alterar a pontuação da palavra אלי, para que conste אֱלֵי (elei) (que significa “para”) ao invés de אֵלָי (elai) (que significa para mim).

 

Assim sendo, o texto hebraico correto do referido trecho é וְהִבִּיטוּ אֱלֵי אֵת אֲשֶׁר-דָּקָרוּ vehibitu elei et asher daqaru, que significa “e olharão para aquele que furaram” ou “e olharão para aquele que traspassaram” ou “e olharão para aquele a quem furaram” ou “e olharão para aquele a quem traspassaram”.

 

Portanto, a tradução correta é “e olharão para aquele que furaram” ou “e olharão para aquele que traspassaram” ou “e olharão para aquele a quem furaram” ou “e olharão para aquele a quem traspassaram”.

 

Note-se que no Evangelho segundo João 19:37 o referido trecho consta traduzido como “verão aquele que traspassaram” (em grego Ὄψονται εἰς ὃν ἐξεκέντησαν(ópsontai eis hon exekéntesan), o que mostra que no versículo Zacarias 12:10 a vocalização da palavra אלי como אֵלָי (elai) é tão absurda que até mesmo o autor do Evangelho segundo João, que escreveu o referido livro para tentar convencer as pessoas de que Jesus é Deus, vocalizou a palavra אלי como אֱלֵי (elei) (que significa “para”) e não como אֵלָי (elai) (que significa para mim).

 

A interpretação correta do versículo Zacarias 12:10 é a seguinte:

 

Os versículos Zacarias 12:1-9 mostram que haverá uma guerra de todas as nações contra Israel, e o versículo Zacarias 12:10 mostra que, naquela guerra, um líder judeu será furado (ou traspassado) pelos exércitos das nações e morrerá, e todo o povo de Israel lamentará por ele, fazendo uma lamentação muito grande.

 

É óbvio que as pessoas que furarão aquele homem não serão as mesmas pessoas que lamentarão a sua morte, pois as pessoas que o furarão serão seus inimigos, que estarão querendo matá-lo, de modo que, para aqueles que o furarão a sua morte será motivo de regozijo e não de lamentação, e somente para o povo de Israel é que a morte daquele homem será motivo de lamentação.

 

Os cristãos interpretam o versículo Zacarias 12:10 dizendo que aquele que foi furado é Jesus o Nazareno, que foi furado quando foi crucificado, e que os judeus olharão para Jesus ressuscitado e lamentarão por ele, mas esta interpretação não tem lógica, pois se Jesus já estiver ressuscitado, não haverá motivo para lamentar por ele. As pessoas somente lamentam por aqueles que morreram e continuam mortos. Se o morto ressuscitar, não há mais motivo para lamentação, mas sim para regozijo pela ressurreição.

 

Além disso, os cristãos se aproveitam do erro de pontuação (vocalização) cometido pelos massoretas, ao pontuarem (vocalizarem) a palavra אלי como אֵלָי (elai) ao invés de אֱלֵי (elei), para dizerem que Jesus o Nazareno é Deus, pois, com esta pontuação equivocada, estaria escrito que Deus disse: “e olharão para mim, a quem furaram”. No entanto, como já foi demonstrado acima, a pontuação correta é אֱלֵי (elei), que significa “para”, pois a pontuação אֵלָי (elai), que significa “para mim” conduz ao absurdo, pois Deus não pode ser furado por ninguém, uma vez que Ele é o Onipotente, e Ele não é carne.

 

Ademais, é absurdo dizer que Jesus o Nazareno é Deus, pois Deus é o Criador de todas as coisas, e Jesus é um homem, que é uma criatura, e é totalmente impossível a criatura ser o Criador.

 

Além disso, Deus disse que Ele é um (Deuteronômio 6:4), de modo que a doutrina que diz que Deus é dois, ou três, é uma doutrina falsa.

 

Para mais detalhes sobre este assunto, veja a página http://www.caraita.teo.br/jesus_e_deus.htm .

 

A CORRETA INTERPRETAÇÃO DO TRECHO ISAÍAS 52:13 A 53:12

 

A correta interpretação do trecho Isaías 52:13 a 53:12 é a seguinte:

 

Em Isaías 52:13 a 53:12 está escrito o seguinte:

 

IS 52:13 EIS QUE O MEU SERVO SERÁ INTELIGENTE; LEVANTAR-SE-Á, E ELEVAR-SE-Á, E EXALTAR-SE-Á MUITO.

IS 52:14 COMO SE ADMIRARAM DE TI MUITOS. ASSIM DESFIGURADO ESTAVA O SEU ASPECTO, MAIS DO QUE O DE QUALQUER HOMEM, E A SUA APARÊNCIA MAIS DO QUE A DOS FILHOS DOS HOMENS.

IS 52:15 ASSIM BORRIFARÁ MUITAS NAÇÕES, E OS REIS FECHARÃO AS SUAS BOCAS POR CAUSA DELE; PORQUE AQUILO QUE NÃO LHES FOI ANUNCIADO VERÃO, E AQUILO QUE ELES NÃO OUVIRAM ENTENDERÃO.

IS 53:1 QUEM CREU NA NOSSA NOTÍCIA? E O BRAÇO DE JAVÉ SOBRE QUEM SE REVELOU?

IS 53:2 E SUBIU COMO RENOVO PERANTE ELE, E COMO RAIZ DE UMA TERRA SECA; NÃO TINHA APARÊNCIA NEM GLÓRIA; E O VIMOS, E NÃO HAVIA APARÊNCIA PARA QUE O DESEJÁSSEMOS.

IS 53:3 ERA DESPREZADO E ABANDONADO PELOS HOMENS, HOMEM DE DORES, E CONHECIDO DE DOENÇA E, COMO UM DE QUEM OS HOMENS ESCONDIAM O ROSTO, ERA DESPREZADO, E NÃO LHE DEMOS IMPORTÂNCIA.

IS 53:4 VERDADEIRAMENTE ELE CARREGOU AS NOSSAS ENFERMIDADES, E SOFREU AS NOSSAS DORES; E NÓS O CONSIDERÁVAMOS AFLITO, FERIDO POR DEUS, E OPRIMIDO.

IS 53:5 E ELE FOI FERIDO POR CAUSA DAS NOSSAS TRANSGRESSÕES, FOI ABATIDO POR CAUSA DAS NOSSAS INIQUIDADES; O CASTIGO QUE NOS TRAZ A PAZ ESTAVA SOBRE ELE, E PELAS SUAS FERIDAS FOMOS SARADOS.

IS 53:6 TODOS NÓS COMO OVELHAS ERRÁVAMOS; CADA UM PARA O SEU CAMINHO SE VIRAVA; E JAVÉ FEZ CAIR SOBRE ELE A INIQUIDADE DE TODOS NÓS.

IS 53:7 ELE FOI OPRIMIDO E AFLIGIDO, MAS NÃO ABRIU A SUA BOCA; COMO UM CORDEIRO FOI LEVADO PARA O ABATE, E COMO A OVELHA QUE FICA MUDA PERANTE OS SEUS TOSQUIADORES, E NÃO ABRIU A SUA BOCA.

IS 53:8 DA OPRESSÃO E DO JUÍZO FOI TIRADO; E A SUA GERAÇÃO QUEM CONTARÁ? PORQUE FOI CORTADO DA TERRA DOS VIVENTES; POR CAUSA DA TRANSGRESSÃO DO MEU POVO ELE FOI FERIDO.

IS 53:9 E PÔS COM OS ÍMPIOS A SUA SEPULTURA, E COM O RICO NA SUA MORTE; PORQUE NÃO COMETEU VIOLÊNCIA, E NÃO HOUVE ENGANO NA SUA BOCA.

IS 53:10 E JAVÉ QUIS FERI-LO, FEZ ENFERMAR. SE A SUA ALMA FIZER OFERTA POR CULPA, ELE VERÁ SEMENTE, PROLONGARÁ DIAS; E A VONTADE DE JAVÉ NA SUA MÃO PROSPERARÁ.

IS 53:11 DO TRABALHO DA SUA ALMA VERÁ; FICARÁ SATISFEITO COM O SEU CONHECIMENTO; O JUSTO, O MEU SERVO, JUSTIFICARÁ A MUITOS; E AS INIQUIDADES DELES ELE CARREGARÁ.

IS 53:12 POR ISSO REPARTIREI PARA ELE EM MUITOS, E COM OS PODEROSOS ELE REPARTIRÁ O DESPOJO; PORQUE ENTREGOU À MORTE A SUA ALMA, E COM OS TRANSGRESSORES FOI CONTADO; MAS ELE O PECADO DE MUITOS LEVOU, E PELOS TRANSGRESSORES SUPLICOU.

 

Neste trecho, Deus fala a respeito do Seu servo.

 

Para sabermos quem é este servo de Deus a quem Ele se refere, precisamos ler os capítulos anteriores do livro do profeta Isaías.

 

Está escrito em Isaías 41:8-9:

 

IS 41:8 PORÉM TU, Ó ISRAEL, SERVO MEU, TU JACÓ, A QUEM ELEGI, DESCENDÊNCIA DE ABRAÃO, MEU AMIGO;

IS 41:9 TU A QUEM TOMEI DESDE OS FINS DA TERRA, E TE CHAMEI DENTRE OS SEUS MAIS EXCELENTES, E TE DISSE: TU ÉS O MEU SERVO, A TI ESCOLHI E NUNCA TE REJEITEI.

 

E está escrito em Isaías 44:21-22:

 

IS 44:21 LEMBRA-TE DESTAS COISAS, Ó JACÓ, E ISRAEL, PORQUE ÉS MEU SERVO; EU TE FORMEI, MEU SERVO ÉS, Ó ISRAEL, NÃO ME ESQUECEREI DE TI.

IS 44:22 APAGUEI AS TUAS TRANSGRESSÕES COMO A NÉVOA, E OS TEUS PECADOS COMO A NUVEM; TORNA-TE PARA MIM, PORQUE EU TE REMI.

 

E em Isaías 49:1-3 está escrito:

 

IS 49:1 OUVI-ME, ILHAS, E ESCUTAI, NAÇÕES DE LONGE: JAVÉ ME CHAMOU DESDE O VENTRE, DESDE AS ENTRANHAS DE MINHA MÃE FEZ MENÇÃO DO MEU NOME.

IS 49:2 E PÔS A MINHA BOCA COMO ESPADA AFIADA, COM A SOMBRA DA SUA MÃO ME COBRIU; E ME PÔS POR FLECHA ESCOLHIDA; NA SUA ALJAVA ME ESCONDEU;

IS 49:3 E ME DISSE: TU ÉS MEU SERVO ISRAEL, EM QUEM ME GLORIAREI.

 

Portanto, vemos que a pessoa a quem Deus, no livro de Isaías, chama de “meu servo” é o povo de Israel, a nação de Israel, o Estado de Israel, considerado como um todo, através dos séculos, desde a sua origem até o fim dos tempos.

 

Em Isaías 52:13 a 53:12, vemos que Deus se refere ao mesmo tempo ao Seu servo, o povo de Israel, e aos israelitas (ou judeus) individuais, e diz que, devido aos pecados cometidos pelos israelitas (ou judeus) individuais, o Seu servo, o povo de Israel (ou a nação de Israel, ou o Estado de Israel) sofreu muito, a ponto de até mesmo morrer, ao perder o seu território, quando os israelitas (ou judeus) foram expulsos da Terra de Israel, pelos assírios e pelos babilônios, nos séculos VII e VI AEC, e depois pelos romanos nos séculos I e II EC.

 

Neste trecho, Deus falou em linguagem figurada, e fez uma personificação do povo, nação e Estado de Israel como se ele fosse um homem, a quem Ele se refere como “meu servo”, e disse que no fim dos tempos o Seu servo, o povo (nação e Estado) de Israel, será muito exaltado, e que o Seu servo, o povo (nação e Estado) de Israel, irá primeiramente sofrer muito, a ponto de até mesmo morrer ao perder o seu território, e disse que estes sofrimentos do povo (nação e Estado) de Israel ocorrerão como castigo pelos pecados cometidos pelos israelitas (ou judeus) individuais, e que estes sofrimentos e morte do povo (nação e Estado) de Israel servirão como expiação pelos pecados dos israelitas (ou judeus) individuais, e disse também que no fim dos tempos o Estado de Israel ressurgirá e será muito exaltado, e repartirá o despojo com os poderosos, e verá semente, e prolongará dias, e a vontade de Deus na sua mão prosperará.

 

Esta personificação do povo (nação e Estado) de Israel, como se fosse um homem, é encontrada em vários trechos das sagradas escrituras, como, por exemplo, em Isaías 42:19, onde Deus se refere ao povo de Israel como Seu servo, e diz que ele é cego e surdo, e em Daniel 7:13-14, onde Deus se refere ao povo (nação e Estado) de Israel como um filho de homem, sendo que em Daniel 7:27 Deus esclarece que o filho de homem que aparece na visão é o povo dos santos do Altíssimo, ou seja, o povo de Israel.

 

Os cristãos dizem que o trecho Isaías 52:13 a 53:12 se refere ao Messias, mas isto não é verdade, pois ele se refere ao povo (nação e Estado) de Israel, conforme demonstrado acima.

 

A CORRETA INTERPRETAÇÃO DOS VERSÍCULOS DANIEL 7:13-14

 

A correta interpretação dos versículos Daniel 7:13-14 é a seguinte:

 

Em Daniel 7:13-14 está escrito o seguinte:

 

DN 7:13 EU ESTAVA OLHANDO NAS MINHAS VISÕES DA NOITE, E EIS QUE VINHA NAS NUVENS DO CÉU UM COMO FILHO DE HOMEM; E DIRIGIU-SE AO ANCIÃO DE DIAS, E O FIZERAM CHEGAR ATÉ ELE.

DN 7:14 E FOI-LHE DADO O DOMÍNIO, E A HONRA, E O REINO, PARA QUE TODOS OS POVOS, NAÇÕES E LÍNGUAS O SERVISSEM; O SEU DOMÍNIO É UM DOMÍNIO ETERNO, QUE NÃO PASSARÁ, E O SEU REINO TAL, QUE NÃO SERÁ DESTRUÍDO.

 

Os cristãos dizem que o filho de homem (ou filho do homem) mencionado neste trecho é o Messias.

 

No entanto, está escrito em Daniel 7:27 que Deus disse que o filho de homem (ou filho do homem) que apareceu naquela visão simboliza o povo dos santos do Altíssimo, que é o povo de Israel.

 

Para interpretar corretamente os versículos Daniel 7:13-14, é preciso ler todo o capítulo 7 do livro do profeta Daniel, no qual está escrito o seguinte:

 

DN 7:1 NO PRIMEIRO ANO DE BELSAZAR, REI DE BABILÔNIA, TEVE DANIEL UM SONHO E VISÕES DA SUA CABEÇA QUANDO ESTAVA NA SUA CAMA; ESCREVEU LOGO O SONHO, E RELATOU A SUMA DAS COISAS.

DN 7:2 FALOU DANIEL, E DISSE: EU ESTAVA OLHANDO NA MINHA VISÃO DA NOITE, E EIS QUE OS QUATRO VENTOS DO CÉU AGITAVAM O MAR GRANDE.

DN 7:3 E QUATRO ANIMAIS GRANDES, DIFERENTES UNS DOS OUTROS, SUBIAM DO MAR.

DN 7:4 O PRIMEIRO ERA COMO LEÃO, E TINHA ASAS DE ÁGUIA; ENQUANTO EU OLHAVA, FORAM-LHE ARRANCADAS AS ASAS, E FOI LEVANTADO DA TERRA, E POSTO EM PÉ COMO UM HOMEM, E FOI-LHE DADO UM CORAÇÃO DE HOMEM.

DN 7:5 E EIS UM OUTRO ANIMAL, O SEGUNDO, SEMELHANTE A UM URSO, O QUAL SE LEVANTOU DE UM LADO, TENDO NA BOCA TRÊS COSTELAS ENTRE OS SEUS DENTES; E FOI-LHE DITO ASSIM: LEVANTA-TE, DEVORA MUITA CARNE.

DN 7:6 DEPOIS DISTO, EU CONTINUEI OLHANDO, E EIS AQUI OUTRO, SEMELHANTE A UM LEOPARDO, E TINHA QUATRO ASAS DE AVE NAS SUAS COSTAS; TINHA TAMBÉM ESTE ANIMAL QUATRO CABEÇAS, E FOI-LHE DADO DOMÍNIO.

DN 7:7 DEPOIS DISTO EU CONTINUEI OLHANDO NAS VISÕES DA NOITE, E EIS AQUI O QUARTO ANIMAL, TERRÍVEL E ESPANTOSO, E MUITO FORTE, O QUAL TINHA DENTES GRANDES DE FERRO; ELE DEVORAVA E FAZIA EM PEDAÇOS, E PISAVA AOS PÉS O QUE SOBEJAVA; ERA DIFERENTE DE TODOS OS ANIMAIS QUE APARECERAM ANTES DELE, E TINHA DEZ CHIFRES.

DN 7:8 ESTANDO EU A CONSIDERAR OS CHIFRES, EIS QUE, ENTRE ELES SUBIU OUTRO CHIFRE PEQUENO, DIANTE DO QUAL TRÊS DOS PRIMEIROS CHIFRES FORAM ARRANCADOS; E EIS QUE NESTE CHIFRE HAVIA OLHOS, COMO OS DE HOMEM, E UMA BOCA QUE FALAVA GRANDES COISAS.

DN 7:9 EU CONTINUEI OLHANDO, ATÉ QUE FORAM POSTOS UNS TRONOS, E UM ANCIÃO DE DIAS SE ASSENTOU; A SUA VESTE ERA BRANCA COMO A NEVE, E O CABELO DA SUA CABEÇA COMO A PURA LÃ; E SEU TRONO ERA DE CHAMAS DE FOGO, E AS SUAS RODAS DE FOGO ARDENTE.

DN 7:10 UM RIO DE FOGO MANAVA E SAÍA DE DIANTE DELE; MILHARES DE MILHARES O SERVIAM, E MIRÍADES DE MIRÍADES ASSISTIAM DIANTE DELE; ASSENTOU-SE O JUÍZO, E ABRIRAM-SE OS LIVROS.

DN 7:11 ENTÃO ESTIVE OLHANDO, POR CAUSA DA VOZ DAS GRANDES PALAVRAS QUE O CHIFRE PROFERIA; ESTIVE OLHANDO ATÉ QUE O ANIMAL FOI MORTO, E O SEU CORPO DESFEITO, E ENTREGUE PARA SER QUEIMADO PELO FOGO;

DN 7:12 E, QUANTO AOS OUTROS ANIMAIS, FOI-LHES TIRADO O DOMÍNIO; TODAVIA FOI-LHES PROLONGADA A VIDA ATÉ CERTO ESPAÇO DE TEMPO.

DN 7:13 EU ESTAVA OLHANDO NAS MINHAS VISÕES DA NOITE, E EIS QUE VINHA NAS NUVENS DO CÉU UM COMO FILHO DE HOMEM; E DIRIGIU-SE AO ANCIÃO DE DIAS, E O FIZERAM CHEGAR ATÉ ELE.

DN 7:14 E FOI-LHE DADO O DOMÍNIO, E A HONRA, E O REINO, PARA QUE TODOS OS POVOS, NAÇÕES E LÍNGUAS O SERVISSEM; O SEU DOMÍNIO É UM DOMÍNIO ETERNO, QUE NÃO PASSARÁ, E O SEU REINO TAL, QUE NÃO SERÁ DESTRUÍDO.

DN 7:15 QUANTO A MIM, DANIEL, O MEU ESPÍRITO FOI ABATIDO DENTRO DO CORPO, E AS VISÕES DA MINHA CABEÇA ME PERTURBARAM.

DN 7:16 CHEGUEI-ME A UM DOS QUE ESTAVAM PERTO, E PEDI-LHE A VERDADE ACERCA DE TUDO ISTO. E ELE ME DISSE, E FEZ-ME SABER A INTERPRETAÇÃO DAS COISAS.

DN 7:17 ESTES GRANDES ANIMAIS, QUE SÃO QUATRO, SÃO QUATRO REIS, QUE SE LEVANTARÃO DA TERRA.

DN 7:18 MAS OS SANTOS DO ALTÍSSIMO RECEBERÃO O REINO, E POSSUIRÃO O REINO ATÉ A ETERNIDADE E ATÉ A ETERNIDADE DAS ETERNIDADES.

DN 7:19 ENTÃO TIVE DESEJO DE CONHECER A VERDADE A RESPEITO DO QUARTO ANIMAL, QUE ERA DIFERENTE DE TODOS OS OUTROS, MUITO TERRÍVEL, CUJOS DENTES ERAM DE FERRO E AS SUAS UNHAS DE BRONZE; QUE DEVORAVA, FAZIA EM PEDAÇOS E PISAVA AOS PÉS O QUE SOBRAVA;

DN 7:20 E TAMBÉM A RESPEITO DOS DEZ CHIFRES QUE TINHA NA CABEÇA, E DO OUTRO QUE SUBIU, E DIANTE DO QUAL CAÍRAM TRÊS, ISTO É, DAQUELE QUE TINHA OLHOS, E UMA BOCA QUE FALAVA GRANDES COISAS, E CUJO PARECER ERA MAIS ROBUSTO DO QUE O DOS SEUS COMPANHEIROS.

DN 7:21 EU OLHAVA, E EIS QUE ESTE CHIFRE FAZIA GUERRA CONTRA OS SANTOS, E PREVALECEU CONTRA ELES.

DN 7:22 ATÉ QUE VEIO O ANCIÃO DE DIAS, E FEZ JUSTIÇA AOS SANTOS DO ALTÍSSIMO; E CHEGOU O TEMPO EM QUE OS SANTOS POSSUÍRAM O REINO.

DN 7:23 DISSE ASSIM: O QUARTO ANIMAL SERÁ O QUARTO REINO NA TERRA, O QUAL SERÁ DIFERENTE DE TODOS OS REINOS; E DEVORARÁ TODA A TERRA, E A PISARÁ AOS PÉS, E A FARÁ EM PEDAÇOS.

DN 7:24 E, QUANTO AOS DEZ CHIFRES, DAQUELE MESMO REINO SE LEVANTARÃO DEZ REIS; E DEPOIS DELES SE LEVANTARÁ OUTRO, O QUAL SERÁ DIFERENTE DOS PRIMEIROS, E ABATERÁ A TRÊS REIS.

DN 7:25 E FALARÁ PALAVRAS CONTRA O ALTÍSSIMO, E DESTRUIRÁ OS SANTOS DO ALTÍSSIMO, E PRETENDERÁ MUDAR OS TEMPOS E A LEI. E SERÃO ENTREGUES NA SUA MÃO ATÉ UM TEMPO, E TEMPOS, E A METADE DE UM TEMPO.

DN 7:26 MAS O JUÍZO SERÁ ESTABELECIDO, E ELES TIRARÃO O SEU DOMÍNIO, PARA O DESTRUIR E PARA O DESFAZER ATÉ AO FIM.

DN 7:27 E O REINO, E O DOMÍNIO, E A MAJESTADE DOS REINOS DEBAIXO DE TODO O CÉU SERÃO DADOS AO POVO DOS SANTOS DO ALTÍSSIMO; O SEU REINO SERÁ UM REINO ETERNO, E TODOS OS DOMÍNIOS O SERVIRÃO, E LHE OBEDECERÃO.

DN 7:28 AQUI TERMINOU O ASSUNTO. QUANTO A MIM, DANIEL, OS MEUS PENSAMENTOS MUITO ME PERTURBARAM, E MUDOU-SE EM MIM O MEU SEMBLANTE; MAS GUARDEI O ASSUNTO NO MEU CORAÇÃO.

 

No capítulo 7 do livro de Daniel consta que Deus deu ao profeta Daniel uma visão, na qual apareceram quatro animais e depois apareceu um como filho de homem que vinha nas nuvens do céu, o qual se dirigiu ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele, e foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem, e foi dito que o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído.

 

Consta também no capítulo 7 do livro de Daniel, a partir do versículo 16, que Daniel pediu a um dos anjos que estavam por perto que lhe explicasse o significado da visão, e que ele lhe explicou que aqueles quatro animais são quatro reis que se levantariam na terra (Dn 7:17), e que depois o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo, e o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão (Daniel 7:27).

 

Portanto, vemos que o filho de homem (ou filho do homem) que aparece na visão em Daniel capítulo 7 não é o Messias, mas sim o povo dos santos do Altíssimo, que é o povo de Israel.

 

Na Bíblia, a expressão “filho de homem”, ou “filho do homem”, que em hebraico é BEN ADAM, e em aramaico é BAR ENOSH, significa simplesmente “homem”.

 

Em hebraico se usa a expressão BEN ADAM (filho de homem, ou filho do homem) para significar “homem”, ou “pessoa”, ou “ser humano”.

 

A CORRETA INTERPRETAÇÃO DO VERSÍCULO ZACARIAS 13:6

 

A correta interpretação do versículo Zacarias 13:6 é a seguinte:

 

Em Zacarias 13:6 está escrito o seguinte:

 

ZC 13:6 E LHE DIRÁ: QUE SÃO ESTAS FERIDAS NO MEIO DAS TUAS MÃOS? E DIRÁ: QUE FUI FERIDO EM CASA DOS MEUS AMIGOS.

 

Para interpretar corretamente o versículo Zacarias 13:6, é preciso ler todo o trecho que está em Zacarias 13:1-6, no qual está escrito o seguinte:

 

ZC 13:1 NAQUELE DIA HAVERÁ UMA FONTE ABERTA PARA A CASA DE DAVI, E PARA OS HABITANTES DE JERUSALÉM, PARA PECADO E PARA IMUNDÍCIA.

ZC 13:2 E ACONTECERÁ NAQUELE DIA, DIZ JAVÉ DOS EXÉRCITOS, QUE TIRAREI DA TERRA OS NOMES DOS ÍDOLOS, E DELES NÃO HAVERÁ MAIS MEMÓRIA; E TAMBÉM OS PROFETAS E O ESPÍRITO DA IMUNDÍCIE FAREI SAIR DA TERRA.

ZC 13:3 E ACONTECERÁ QUE SE ALGUÉM AINDA PROFETIZAR, SEU PAI E SUA MÃE, QUE O GERARAM, LHE DIRÃO: NÃO VIVERÁS, PORQUE FALASTE MENTIRA EM NOME DE JAVÉ; E SEU PAI E SUA MÃE, QUE O GERARAM, O FURARÃO QUANDO PROFETIZAR.

ZC 13:4 E ACONTECERÁ NAQUELE DIA QUE OS PROFETAS SE ENVERGONHARÃO, CADA UM DA SUA VISÃO, QUANDO PROFETIZAR; E NÃO VESTIRÃO MANTO DE PELOS, PARA MENTIREM.

ZC 13:5 E DIRÁ: EU NÃO SOU PROFETA, EU SOU HOMEM LAVRADOR DA TERRA, PORQUE UM HOMEM ME COMPROU DESDE A MINHA MOCIDADE.

ZC 13:6 E LHE DIRÁ: QUE SÃO ESTAS FERIDAS NO MEIO DAS TUAS MÃOS? E DIRÁ: QUE FUI FERIDO EM CASA DOS MEUS AMIGOS.

 

Neste trecho, vemos que Deus disse que no futuro Ele fará com que não haja nenhum falso profeta e que naquela época, se algum falso profeta ainda profetizar falsamente, o seu pai e a sua mãe o furarão, e os falsos profetas se envergonharão de terem sido falsos profetas, e dirão que não são profetas, e se alguém perguntar a um falso profeta que foi furado pelo seu pai e pela sua mãe o que são as feridas no meio das suas mãos, ele dirá que foi ferido na casa dos seus amigos, para evitar que descubram que ele foi um falso profeta que foi furado pelos seus pais por ter profetizado falsamente.

 

Os cristãos dizem que o versículo Zacarias 13:6 se refere a Jesus o Nazareno, que sofreu ferimentos nas mãos ao ser crucificado, mas esta interpretação deles é equivocada, pois o contexto mostra que neste trecho Deus falou sobre os falsos profetas, e disse que no futuro Ele fará sair da terra os falsos profetas, e que, se alguém ainda profetizar falsamente, será furado pelos seus pais quando profetizar falsamente, e que aqueles que foram falsos profetas se envergonharão de terem sido falsos profetas, e dirão que não são profetas e, se alguém perguntar a um falso profeta que foi furado pelos seus pais o que são as feridas no meio das suas mãos, ele dirá que foi ferido na casa dos seus amigos, para evitar que descubram que ele foi um falso profeta que foi furado pelos seus pais por ter profetizado falsamente.

 

A CORRETA INTERPRETAÇÃO DO VERSÍCULO SALMOS 110:1

 

A correta interpretação do versículo Salmos 110:1 é a seguinte:

 

Em Salmos 110:1 está escrito o seguinte:

 

SL 110:1 DE DAVI, SALMO. DISSE JAVÉ AO MEU SENHOR: ASSENTA-TE À MINHA DIREITA, ATÉ QUE EU PONHA OS TEUS INIMIGOS POR ESCABELO DOS TEUS PÉS.

 

Para interpretarmos corretamente o versículo Salmos 110:1, precisamos ler todo o capítulo 110 do livro de Salmos, onde está escrito o seguinte:

 

SL 110:1 DE DAVI, SALMO. DISSE JAVÉ AO MEU SENHOR: ASSENTA-TE À MINHA DIREITA, ATÉ QUE EU PONHA OS TEUS INIMIGOS POR ESCABELO DOS TEUS PÉS.

SL 110:2 JAVÉ ENVIARÁ DE SIÃO O CETRO DO TEU PODER. DOMINA NO MEIO DOS TEUS INIMIGOS.

SL 110:3 O TEU POVO SERÁ DÁDIVAS NO DIA DO TEU PODER; EM ORNAMENTOS SANTOS, DESDE A MADRE DA AURORA; PARA TI É O ORVALHO DA TUA JUVENTUDE.

SL 110:4 JUROU JAVÉ, E NÃO SE ARREPENDERÁ: TU ÉS SACERDOTE PARA SEMPRE, SEGUNDO A ORDEM DE MELQUISEDEQUE.

SL 110:5 JAVÉ À TUA DIREITA FERIRÁ REIS NO DIA DA SUA IRA.

SL 110:6 JULGARÁ ENTRE AS NAÇÕES; ENCHERÁ DE CADÁVERES; FERIRÁ CABEÇA SOBRE TERRA GRANDE.

SL 110:7 NO CAMINHO BEBERÁ DO RIBEIRO; POR ISSO LEVANTARÁ A CABEÇA.

 

No Salmo 110 Deus fala a respeito do Messias, o rei de Israel descendente de Davi.

 

Em Salmos 110:1, Davi chama o Messias de meu Senhor porque, a partir do momento em que Davi abdicou do reino em favor do seu filho Salomão, como vemos em 1Reis 1:32-40, ele passou a ser súdito do rei Salomão, e por isso passou a chamá-lo de Senhor, e futuramente, quando o Messias, descendente de Davi, se tornar o rei de Israel, Davi também será seu súdito, e por isso ele o chama de Senhor.

 

Em Salmos 110:1 está escrito que Deus disse ao Messias, o rei de Israel, descendente de Davi: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés. Isto significa que Deus estará ao lado do Messias, o rei de Israel, para lhe dar vitória nas guerras contra todos os seus inimigos. Vemos isto também nos versículos 5 e 6 do Salmo 110, onde está escrito que Deus estará à direita do Messias, o rei de Israel, e ferirá reis no dia da Sua ira, e julgará entre as nações e encherá de cadáveres, e ferirá cabeça sobre terra grande.

 

Os cristãos dizem que o versículo Salmos 110:1 significa que o Messias deveria subir para o céu e ali se assentar à direita de Deus, mas esta interpretação deles não está correta, porque em Salmos 110:2 Deus disse para o Messias se assentar à Sua direita até que Deus ponha os seus inimigos por escabelo dos seus pés, o que mostra que o Messias vai se assentar à direita de Deus ao mesmo tempo em que guerreia contra os seus inimigos, e para guerrear contra os seus inimigos ele tem que estar na terra. Vemos em Salmos 110:5-6 que Deus estará à direita do Messias, o rei de Israel, enquanto ele guerreia contra os reis das nações, o que também mostra que o Messias estará na terra quando se assentar à direita de Deus, e Deus estiver à sua direita. Alem disso, em Salmos 110:2 está escrito que Deus enviará de Sião, ou seja, de Jerusalém, o cetro do poder do Messias, e mandará que ele domine no meio dos seus inimigos, o que também mostra que o Messias estará na terra, e não no céu quando ele se assentar à direita de Deus.

 

Deus disse que o Messias vai se assentar à Sua direita porque Deus estará ao lado do Messias, para lhe dar vitória nas guerras contra todos os seus inimigos, e também porque o palácio do rei de Israel, em Jerusalém, fica perto do Templo de Deus, em Jerusalém, de modo que o rei de Israel, ao se assentar no seu trono, fica assentado à direita de Deus.

 

Além disso, em Salmos 110:7 está escrito que o Messias, durante estas guerras, no caminho beberá do ribeiro, o que também comprova que o Messias estará na terra, e não no céu, quando ele se assentar à direita de Deus e guerrear contra os seus inimigos.

 

QUEM SERÁ O MESSIAS?

 

De acordo com as profecias que estão na Bíblia (a verdadeira Bíblia, que é a Bíblia Hebraica, ou Tanakh), o Messias será um homem descendente do rei Davi, que se tornará rei de Israel e governará de acordo com a Lei de Deus (Torá). Isto é o que se depreende do que está escrito em 2 Samuel 7:8-16 e 1 Crônicas 17:7-15 e 2 Samuel 23:3 e Isaías 9:5-6 (nas Bíblias cristãs é Isaías 9:6-7) e 11:1-5 e Salmos 89:4-5 e 20-38 (nas Bíblias cristãs é Salmos 89:3-4 e 19-37) e Jeremias 23:5-6.

 

Que Javé (Yahveh) vos abençoe.

 

João Paulo Fernandes Pontes (nome hebraico: Yochanan Ben Yosef).

 

Publicado em 16 de janeiro de 2015.

 

Atualizado em 7 de abril de 2015.

 

HOME

 

EM PORTUGUÊS

 

EN FRANÇAIS            EN ESPAÑOL             IN ENGLISH                בעיברית

 

Site Meter